Lei Geral de Proteção de Dados: o que muda para os cidadãos? Veja perguntas e respostas

Entenda a lei que protege a privacidade dos cidadãos e cria regras para a utilização de informações pessoais

           

https://www.facebook.com/g1/posts/4413851858666865

Papelada, não passa de boas intenções? Aplicações são desenvolvidas com dados na nuvem, se usarem datacenters que estão no exterior, para aplicações governamentais, chega a ser uma piada. Caso usem datacenters nacionais, já será factível, porém quase impossível de defender, já que o hardware e software não são produzidos aqui. Existem os países da OCDE, a Rússia e a China, o restante dos países é como se fosse um livro aberto com todos os dados, para quase qualquer um ter acesso (agências de espionagem dos países citados, e hackers). Brasil deve se concentrar em não conectar infraestrutura crítica na internet, ou qualquer tipo de comunicação fisicamente conectada à distância (fora do mesmo complexo estrutural), muito menos tecnologias sem fio de qualquer tipo, com ou sem encriptação. Ainda assim, se hardware tiver a capacidade, poderá se conectar a redes sem fio, satélites em órbita ou drones, sem permissão. Existe também comunicação passiva, quando um país direciona uma antena ao hardware a ser atacado, para isto precisa de medidas bloqueadoras de sinais eletromagnéticos envolvendo os complexos estruturais. Não vou cobrar a consultoria.


+