Bovespa cai mais de 5%; Petrobras despenca 20%

Segundo levantamento da Economatica, com o tombo nas cotações, a Petrobras perdeu em poucas horas nesta segunda-feira mais de R$ 72 bilhões em valor de mercado

           

https://www.facebook.com/g1/posts/4932858713432841

Tô vendo comentarista da Globonews contra a proposta de desoneração do orçamento, que tira da Educação e da Saúde dinheiro para pagar mais quatro meses de auxílio emergencial, (mesmo sendo a favor do auxílio), avaliando que isso trará mais desigualdade ao povo brasileiro e defendendo os acionistas da Petrobras (diga-se mercado) contra uma possível intervenção de bolsonaro para reduzir "artificialmente" o valor dos combustíveis para os consumidores, principalmente o diesel - transporte de quase tudo em "terra brasilis" e que, direta e indiretamente, reflete na alta da inflação - e gás de cozinha - que reflete também na alta da inflação e no cozimento do escasso alimento de boa parte das famílias brasileiras... Faz o que então para realizar a quase impossível tarefa de desatar o nó desse cobertor que já é muito curto? Se fácil assim o fosse, já estaríamos faz tempo vivendo no melhor dos mundos... A ladainha das reformas volta à cena, mesmo sem ter saído de cena, sem que um único economista de mercado ou neoliberal garanta que com as reformas pretendidas pelo mercado tudo vai dar certo para o país e para o povo brasileiro em curto, médio e até a longo prazo: quem tem fome tem pressa! Tudo parece especulação rasa de algo muito mais complexo e que revela, na fala dos próprios comentaristas, contradições impostas pelo próprio sistema capital e que impedem esses de construírem análises inteligíveis, no que diz respeito a fazer que enxerguemos luz no fim do túnel ou mesmo proponham soluções para os graves e complexos problemas brasileiros... Contradições que podemos visualizar pela cena do cachorro correndo atrás do rabo num "mato sem cachorro"... E vamos que vamos, pois talvez seja mais rápido mudar o sistema produtivo por osmose do que esperar dos comentaristas e economistas do mercado financeiro alguma solução para todos os nossos males e que faça do capitalismo o "Manjar dos Deuses" que tanto desejam fazer acreditar...


"O diabo mora nos detalhes" e não "confundam alhos com bugalhos". O desgoverno bolsonaro é um total desgoverno em todos os sentidos, mas o "piti" do mercado é uma grita poderosa para continuarem a ganhar dinheiro com a estatal e sua privatização: tudo para o bolso dos acionistas e deles... Os "especialistas" que querem privatizar a estatal falam da desvalorização dos ativos da PETROBRAS. E o ativo povo brasileiro? Além da corrupção que sangrou a estatal, temos visto, desde a redemocratização, inúmeras tentativas e ações concretas para privatizá-la. A S.A. de capital aberto, hoje tem mais de 500 mil acionistas. Apesar do governo federal ter o controle acionário da estatal, 43,11% das ações estão nas mãos de "investidores não-brasileiros", sendo 20,14% investidores brasileiros (capital total). A pressão desses "investidores" não-brasileiros é cada vez maior e vimos isso com as ações milionárias pagas a esses investidores quando a estatal esteve envolvida nos escândalos e com perdas financeiras/imagem pela corrupção em passado recente. Cada vez mais a estatal, em suas gestões, passa a pensar como empresa privada. Segundo conceito encontrado em vasta bibliografia produzida, "estatal é uma empresa criada por meio de lei, que pertence ao governo e é controlada total ou parcialmente por algum nível governamental — municipal, estadual ou federal. Geralmente, empresas estatais são criadas para administrar recursos estratégicos do país e garantir que a população tenha acesso a eles". Vou além, uma estatal deve auxiliar o país em seu desenvolvimento tecnológico, econômico, social e ambiental. Deve ter recursos governamentais para realizar esses objetivos, mantendo-se, principalmente, viável e saudável, fiscal e administrativamente, e não lucrativa. Seus indicadores devem revelar a "saúde da empresa"; desenvolvimento tecnológico/científico e retorno à população. Essa deveria ser a visão de uma estatal e da Petrobras e não a de enriquecer parte de seus acionistas... Mercado e "especialistas" do mercado financeiro não tem nação ou país. O que eles querem é grana no bolso dos acionistas e no deles... Estatal não tem de ser um "elefante branco", cabide de empregos ou fonte de corrupção. O lucro de uma estatal é toda a riqueza - material e imaterial -, revertida para o país e à população. Triste ainda é ver "comissão de empregados" e "gestores" da Petrobras de carreira e outros "engenheiros" e quadros da empresa, emitindo carta de repúdio com a queda das ações pela troca de um neoliberal, que estava na presidência da estatal tendo um plano próprio de destruição desse patrimônio, e trabalhando para a privatização da estatal... "Trabalhadores do mundo: uni-vos"!


+