Após alta recorde, Guedes diz que dólar mais baixo permitia doméstica ir à Disney

Em seguida, ministro disse: "Todo mundo tem que ir para a Disneylândia, conhecer Walt Disney. Mas não ir três, quatro vezes ao ano". Ele discursou em seminário em Brasília

           

https://www.facebook.com/g1/posts/3674534269265298

Ele foi infeliz na colocação, mas, tem que ser muito símio para não entender oque ele quis dizer.
Só falou que quando o dólar estava num valor mais baixo, até uma empregada doméstica que tem um salário mais baixo, ia pra Disney, mas agora com o dólar alto, mesmo com """condições""" baixas, continua querendo ir porém muito mais vezes, ao invés de conhecer o próprio país e aumentar a lucratividade local. Não tem nada falando de classe social ali, o termo da empregada só foi aplicado para fazer uma alusão a uma margem salarial. Poderia ser um Gari, auxiliar de limpeza e etc...
Isso não significa que a pessoa não possa ir para a Disney, mesmo pq para isso existe programação, mas com a alta do dólar, as vezes pode não ser uma melhor opção momentânea.


Acredito que a fala dele foi bastante coerente do ponto de vista econômico.
Quando usou o termo, viajar 3 a 4 vezes para Disney, ele jamais quis dizer que somos proibido de fazer esta viagem. Só nos informou através da fala, que o dólar em um valor mais alto, poderemos viajar aqui no Brasil por um custo bem mais baixo e permanecendo nossas divisas financeiras em nosso país, evitando assim, um deslocamento de nossa moeda para um outro países.
Com o dólar em alta, nosso produtos produzidos tem um maior valor de competitividade para ser vendido a outros países, gerando assim, mais exportações, e mais dinheiro para investirmos em saúde, educação, saneamento básico.
O título da matéria é tendenciosa e faz termos ideia diferente ao que foi realmente proposto em suas ideias.


Não é preciso ser economista para entender que Guedes mente, ora desde de quando o dólar alto é bom para a indústria, máquinas e equipamentos necessários a modernização do parque industrial vem de fora,inviabilizando investimentos e assim tornando não competitiva nossa indústria, ocorre o que está havendo, uma desindustrialização do pais, a dívida que o Brasil tem em dólares, e as empresas, aumenta vertiginosamente, a cada desvalorização do real, hoje o Brasil importa quase tudo o que é industrializado, ficando somente com as comodites, soja e carne, um pais que não tem uma política industrial desenvolvimentista, não investe em tecnologia, em ciência, em pesquisas, estamos fadados a crescimentos pífios, ou nem isto, o agronegócio ao contrário do que esse governo prega, está endividado, dependente de insumos para ter uma produção competitiva, fertilizante, inseticidas enfim os agrotóxicos, são produzidos por multinacionais que importam a matéria prima cotada em dólar, encarecendo a produção e endividando o produtor. Guedes não engana ninguém tanto que a Selic a 4,25 que não se transfere para os juros de empréstimos ao consumidor, está deixando de ser atrativo ao capital especulador e havendo fuga desde, esse é efeito de uma política que opta pela financeirização do capital ao invés de aplicar na produção.



+