VÍDEO: Jojo Todynho desfila como Chica da Silva de topless

'Quem manda nude não tem vergonha', disse a cantora, destaque da Beija-Flor

           

https://www.facebook.com/g1/posts/3709733229078735

Sukhoi Su-47, anteriormente conhecido como S-37 berkut, é um caça, tendo nos comandos de voo o sistema de controle por cabo elétrico, em inglês chamado de fly-by-wire. Isso significa que todos os cabos, polias e outros dispositivos mecânicos responsáveis pela movimentação das seções de controle da aeronave são substituídos por um sistema eletrônico, onde um computador recebe os comandos oriundos do manche - ou pedais da aeronave - e os repassa às partes móveis ( com as devidas correções e /ou ajustes)

Berkut significa águia dourada, em russo. O primeiro voo do Berkut foi em setembro de 1997, com a designação S-37 ainda. O primeiro estágio dos testes de voo foi completado em 2001. Algumas das características usadas no SU-27 (Flanker, pela OTAN) foram utilizadas também no Berkut, como o canopy (carlinga), trem de pouso e deriva dupla próxima do vertical.

Este caça possui asas FSW (Forward-Swept-Wing ou asa com enflechamento negativo), sendo facilmente reconhecido por esta característica. Asas FSW significam que são "enflechadas" no sentido contrário ao usual, ou seja, para frente. Este conceito de asa já é estudado há muitos anos pelos projetistas de caças, mas somente nos anos recentes, com o emprego da computação na correção dinâmica do voo, é que pode ser utilizado de forma realmente prática. Asas neste sentido proporcionam grande manobrabilidade mesmo em baixas velocidades, próximas ao do "stall" (estol). Todavia, sem uma correção assistida, ela se torna perigosamente instável sob certas condições. O uso de materiais compostos para a diminuição da esteira de turbulência gerada pela asa também foi um avanço que possibilitou a construção do SU-47.

Ao se comparar um par de asas invertidas como as do SU-47 contra um par de asas comuns, de mesma área, encontram-se algumas vantagens: Maior sustentação, maior alcance sub-sônico, maior capacidade de manobra, maior resistência ao "spinning", menor velocidade para o "stall", estabilidade maior em ângulos maiores de ataque e menor espaço de pista requerido tanto para decolagem quanto para a aterragem. Asas neste sentido conferem ao Berkut extrema capacidade de manobra em velocidades subsônicas, podendo mudar rapidamente o ângulo de ataque e a linha de seu voo. Esta capacidade é essencial para a superioridade aérea, pois abre mais possibilidades no lançamento dos mísseis/bombas e no disparo do canhão.

O piloto do Berkut pode rapidamente mudar seu alvo, engajando em outro tão logo tenha feito o disparo contra o primeiro. A possibilidade de curva rápida também é fator importante para a aquisição de novos alvos.

Os painéis das asas do Berkut são constituídos em 90% de materiais compostos. A estrutura da fuselagem é, predominantemente, composta de alumínio e titânio, mais 13% de materiais compostos.

Deve-se contar também que esse tipo de avião ainda é apenas experimental, pois esse tipo de asas proporciona grande e perigosa instabilidade em altas velocidades.


+