Pandemia de coronavírus derruba confiança do consumidor ao menor nível em 3 anos

Segundo a FGV, houve perda de confiança para consumidores em todas as classes de renda, influenciado pelo aumento do pessimismo em relação à situação econômica nos próximos meses

           

https://www.facebook.com/g1/posts/3789899667728757

"Não é hora de pensar em economia. É hora de pensar na vida. Falido você se recupera. Parabéns prefeito/governador tal, deveria ter feito antes".

Deve ser uma coisa só da minha família, mas aqui a gente pega o dinheiro ganho e usa parte pra comprar comida. Talvez na família dessa pessoa seja mais fácil, bastando só encontrar um relvado bem verdinho e pastar à vontade.

A falta de causalidade e a quebra cognitiva do brasileiro é assustadora. Não é sobre o Brasil performar bem ou mal na economia em termos macros, não são meros índices econômicos, equino. É sobre a *proibição da atividade econômica* mais básica de todos os setores, que fatalmente levará todos ao COLAPSO, onde não haverá a comida (e todas as outras coisas) para ser comprada nem o dinheiro para comprá-la. A economia É a própria vida sustentada!

Ao menos algumas pessoas estão finalmente começando a se tocar e mostrar sua indignação diante dos CRIMES que são essas medidas inconstitucionais de governadores e prefeitos com sanha tirânica, deslumbramento e usurpação de poderes e prerrogativas, imposição de ideário pessoal, e politicagem conveniente contra o governo federal.


Se no Brasil tivermos 1milhão de casos de coronavírus (número absurdo, sem precedentes), metade dos infectados (500mil) vai contrair o vírus, será curada e nem saberá que um dia o teve. A outra metade, (outros 500mil), contrairá o vírus e terá sintomas graves. 10% dessa outra metade que teve sintomas graves, ou seja, 50mil, morrerá. Infelizmente.

Por outro lado, se nós ficarmos em casa e evitarmos isso, 40 milhões de pessoas vão ficar desempregadas. Digamos que desses 40 milhões, 1% (um por cento, porcentagem muito otimista) entrem em estágio de extrema miséria e, seja por depressão, seja por fome e desnutrição, seja por falta de saneamento básico e moradia, seja por falta de dignidade ou por conta dos altos índices de criminalidade (já que alguns roubarão/matarão pra viver), morram: 400mil (QUATROCENTAS MIL) pessoas terão morrido.

Logo, dizer "saia de casa" pode parecer algo muito egoísta mas, um raciocínio lógico nos faz entender que, ficar em casa é muito mais perigoso, e muito mais egoísta, muito mais mortal! Nós ficamos em casa, na maioria das vezes, por conta daqueles que conhecemos, por conta do nosso olhar pessoal, com medo de que os nossos estejam dentro desses 50mil (e se você tem contato direto com alguém que seja tipificado no grupo de risco, por favor, fique em casa) mas, deveríamos sair (caso não sejamos tipificados em grupo de risco, nem tenhamos contato direto com quem é) justamente por conta daqueles 400mil que morrerão e não conhecemos. A frase "fazer o bem sem olhar a quem" nunca fez tanto sentido.

Por conta de um olhar global que nos faça entender que talvez, levando em consideração nossa postura, nossa fé, nossos recursos, nosso conhecimento, nossa formação, nossa personalidade ou nosso emprego eu e você, possamos sim superar a crise que se avizinha mas, 400mil pessoas (adultos, idosos, mulheres, homens, crianças, bebês) não superarão, é que eu digo: SE VOCÊ PODE, SAIA.

Pra ser bastante claro e objetivo, em um cenário como esse: Se você ficar em casa estará salvando 50mil e/ou matando 350mil. Se você sair de casa estará matando 50mil e/ou salvando 350mil. Definitivamente, não é uma decisão fácil. Quando se trata de vidas, é muito estranho incluirmos números mas, infelizmente, dentro desse cenário que, eu creio, Deus permitiu pra nos ensinar alguma coisa, essa contabilidade desgraçada se faz necessária!


+