27 Comentários

Não há nada que possa ser dito ou mostrado para os negacionistas que continuam a fazer festas clandestinas. Eu me pergunto que geração é esta imune a qualquer tipo de conscientização, sofrimento, empatia ou ato solidário? Egoístas e individualistas, essas pessoas não se importam com a dor de ninguém. Talvez não se importem nem com eles mesmos. É um tipo de gente que só sobrevive, sem um sentido maior para a própria vida. É uma gente incapaz de exercer cidadania. No Rio, onde jovens que organizam eventos debocharam da fiscalização que combate a Covid-19, quase mil pessoas infectadas aguardam por um leito nos hospitais.
Trabalhadores que não puderam ficar em casa em nenhum momento da pandemia exercem algumas das ocupações que mais registraram aumento nos desligamentos do emprego por morte no Brasil, segundo um levantamento do jornal EL PAÍS com base em informações do Ministério da Economia. Os dados incluem mortes de frentistas de postos de gasolina, operadores de caixa de supermercado e professores.
Em Juiz de Fora (MG), cobradores de ônibus estão morrendo um após o outro, sem que as empresas adotem medidas de segurança para proteger seus funcionários.
O luto de mais de 300 mil famílias não representa nada para os suicidas/assassinos que continuam ignorando a pandemia, se aglomerando e espalhando o vírus. Não se importar com o outro diz muito sobre o tipo de sociedade destrutiva que estamos construindo. Só que o abismo está ficando fundo demais.
Por Daniela Arbex


Link: http://www.vin3.org/index.php?c=article&cod=163919&lang=PT#vin3Comment-758647
----------------------

Na igreja ta indo Pedro e Tiago que o João também já abandonou da pra sentar um em cada banco e sobra lugar kkk
O que o pessoal não entende não é simplesmente pelo fato de ir orar na igreja, igreja tem trabalho social, famílias recorrem as igrejas para ajuda financeira, de alimentos, remédios, roupas e com a pandemia aumentou as famílias que necessitam de ajuda, fora os compromissos que as igrejas já possuem, falo pela minha tem uma casa de recuperação com mais de 80 homens que depende 100% da igreja com todos as necessidades básicas, possuímos campos no Pernambuco que da assistência a famílias carente, ai vem um monte de zé falar que a igreja só quer manter aberta pra ''roubar'' dizimo das pessoas, sem falar da parte espiritual, o aumento de pessoas que procuram a assistência social da igreja por estar desenvolvendo males psicológicos por medo, depressão, ninguém ta pedindo pra fazer culto lotado de pessoas, estão pedindo pra manter aberto o que leva ajuda as pessoas.
O Doria mesmo é a favor de fechar as igrejas mas deu jeito de colocar as empresas dele dentro do que ele julga essencial enquanto milhares de pessoas tem perdido seu negocio, e falo por experiência, meu esposo estava trabalhando em uma obra com mais de 8 mil pessoas em SP, e um dos sócios ? Doria!!! conseguiu deixar varias empresas trabalhando la dentro que não fazem parte do essencial e os funcionários não podem nem se quer contrariar.
Mas é a democracia né ? aqui na minha cidade as festas em rancho não parou, as saídas com amigos e nao fazem nem questão de esconder, mas o povo ta preocupado em fechar igreja, realmente ta todo mundo na mesma tempestade a diferença que tem quem ta na primeira classe outros já estão se afogando sem direito nem a colete salva vidas, realmente é o fim dos tempos....


Link: http://www.vin3.org/index.php?c=article&cod=163919&lang=PT#vin3Comment-758659
----------------------

Na verdade oque de fato esta a acontecendo e que ,quem poderia direcionar a nação a um direcionamento correto não o que poderia ser possivel agora não sabe pra onde caminhar.vejam os transportes públicos onibus lotados e não venham dizer que nestes transportes o vírus não está circulado pelo amor de Deus e so nas igrejas que ele se manifesta ,nos bancos,nos supermercados será que nestes estabelecimento ele não está? E preucupante quanto tentam jogar a culpa da infecção de um virus mortal só nas costa das instituições religiosas e preciso ter cuidado pois o povo precisa sim buscar à Deus seja qual for a sua crença ou denominação a qual pertença e lógico que com cuidado semple respeitando os protocolos de higiêne.o uso do alcoo em gel ou lavar as mãos com sabão....

Link: http://www.vin3.org/index.php?c=article&cod=163919&lang=PT#vin3Comment-758640
----------------------

Na Paróquia que eu participo, ou melhor, nas duas paróquias em São Luís, Ma, ambas estão celebrando com a capacidade reduzida em 30% sendo aferida temperatura na entrada, uso de máscaras, entrega de álcool gel. Uma vez que entra não pode mais ficar andando, tem q sentar nas cadeiras devidamente marcadas com 2 metros de distância uma da outra, o abraço da paz foi tirado, na hora da oração do Pai Nosso não pode dar as mãos e estas recomendações são para toda a Arquidiocese... não vejo estes mesmos cuidados nos ônibus, em alguns supermercados, nos bancos, nos terminais, metrôs... mas os problemas são as igrejas né?

Link: http://www.vin3.org/index.php?c=article&cod=163919&lang=PT#vin3Comment-758641
----------------------

Igrejas que respeitam normas são minoria.
A que a minha vó vai a pessoa inclusive tem que pegar senha com antecedência, pra poder entrar... Os bancos são enormes, uns 6 metros de cumprimento e cada pessoa numa ponta, além de ser intercalado... Lá é seguro, contudo, sei de igrejas que inclusive não ligam se as pessoas estão sem máscara.
Faz muito mais sentido proibir cultos para evitar essas aglomerações dos que não respeitam, do que permiti-los na ilusão que todas as igrejas serão como essa que minha vó frequenta.
É mais importante evitar contaminação, consequentemente evitar mortes do que permitir cultos nesse momento atípico.
Sinto pela minha vó e demais fiéis, mas a vida é mais importante.


Link: http://www.vin3.org/index.php?c=article&cod=163919&lang=PT#vin3Comment-758646
----------------------

O que falar de ônibus , metrô e trem esqueceram de falar deles também . compará o povo da igreja com o povo da cachaça e de drogas onde todo mundo fica doidão e não segue os protocolos é o fim da picada isso era um ano atrás hoje mudou tudo dentro da igreja .
Não tem folhetos litúrgico não tem divisão de objetos não tem abraços tem distanciamento e máscaras no lugar certo cobrindo nariz e boca do contrário agente e convidado a fazer o uso correto ou si retirá . Se o problema a música e retirar quem canta na igreja não ganha nada pra isso então vai precisa disso pra sobreviver .


Link: http://www.vin3.org/index.php?c=article&cod=163919&lang=PT#vin3Comment-758655
----------------------

Só fico aqui assuntando os comentários.
Gente templo não igreja, igreja somos nós, que somos templo e morada do Espírito Santo mas todos nós também temos que entender, muitas pessoas no momento de desespero já não sabem mais o que fazer a quem recorrer o único lugar onde eles podem encontrar uma palavra de conforto de ânimo de salvação de renovação de esperança é ali no templo feito por mãos de homem mas que ali tem um pastor ou presbítero até mesmo um cooperador pra que lhe dê essa palavra. Essa é minha opinião, realmente estamos vivendo tempos difíceis mas vamos criticar menos e orar ou rezar mais uns pelos outros esse não é tempo de divisão e sim de ajuda.
No templo onde congrego não é muito grande mas tomamos todos os devidos cuidados com a membresia, o porteiro recebe as pessoas e fala pra todos só pode sentar um em cada ponta do banco temos álcool em gel na entrada todos passam só pode entrar com máscara assim como diz o decreto .
Então vamos criticar menos e orar ou rezar mais pela nação brasileira e pelo mundo ok assim acho que seria melhor pra humanidade...


Link: http://www.vin3.org/index.php?c=article&cod=163919&lang=PT#vin3Comment-758664
----------------------

Chega.... o fracaso no combate ao covid não é da igreja! Não é do trabalhador, nem das empresas de transporte coletivo urbano...a culpa gente sempre foi das políticas fracassadas de governantes que nunca se importaram com nada. Não é a igreja ou nós trabalhadores que gerenciamos recursos públicos para combate à doenças... olha sempre vivemos epidemias de diversos tipos diferentes e nunca houve investimento suficiente.... o lixo a céu aberto os valoes .... as demoras em nas consultas e a falta de leitos sempre foram um descaso político em todo o Brasil....agora esses incompetentes junto com essa desgraça chamada midia querem responsabilizar os empregados as empresas as igrejas a população pela falta de competência administrativa.... a maior desgraça desse país são os políticos...

Link: http://www.vin3.org/index.php?c=article&cod=163919&lang=PT#vin3Comment-758644
----------------------

Primeiro vai quem quer! Fica a dica!
"Ambientes fechados, pouca ventilação, amplo contato..." é só nas igrejas???por favor está óbvio que fora da igreja continuam aglomerações em comércios, ônibus lotados, ... não se faz uma prática rigorosa mais organizada para mudar isso... e a culpa é das igrejas?
Sou da igreja catolica qual frequento segue protocolos, distanciamento, números reduzidos, ela é ampla arejada etc... é só abre quando permitida...diferente das festas, bares clandestinos, comércios lotados... ( não estou generalizando mas analisa quando a igreja é mais segura aí pode frequentar, diferente disso faz sua oração em casa...)
Mais do que nunca precisamos aumentar a fe e nos apegar a Deus sobre todas as coisas! A fé é ESSENCIAL sim em todas as fases da vida, independente se vivemos uma pandemia ou não


Link: http://www.vin3.org/index.php?c=article&cod=163919&lang=PT#vin3Comment-758651
----------------------

De todos os lugares que eu já estive durante a pandemia, depois da minha casa particular, a "casa comum" Igreja, é o local mais seguro para se frequentar. Aferição de temperatura, álcool em gel, uso obrigatório de máscaras, distanciamento na chegada, durante e após o término. O espaço permitido entre os fiéis é de dois metros. Enfim a Igreja Católica, creio também que as outras denominações estão cumprindo o que determina os protocolos.
Vamos agora aos supermercados, padarias, restaurantes, agência bancária, lojas, transporte público, se houvesse metade dos cuidados que temos nas igrejas, o cenário seria outro.
Vá as praças, ruas, pessoas sem uso de máscaras, enfim, tudo pode em todo lugar, menos na Igreja. "Haverá um dia em que as pessoas procurarão pela Igreja e ela não mais estará lá".


Link: http://www.vin3.org/index.php?c=article&cod=163919&lang=PT#vin3Comment-758638
----------------------